19 Jul 2019 a 21 Jul 2019

Organiza a tua agenda para a edição 2019 do MEO Marés Vivas

Organiza a tua agenda para a edição 2019 do MEO Marés Vivas

Arranca já no final desta semana a 13ª edição do festival, nos dias 19, 20 e 21 de Julho. Organiza-te connosco e descobre tudo o que precisas de saber sobre este festival nortenho. Podes contar novamente com um cartaz muito comercial (e algumas bandas repetentes), mas pelo meio terá umas quantas surpresas…

O diretor Jorge Lopes e a restante organização estão mais ambiciosos do que nunca e esperam receber quase 40 mil pessoas por dia. Para isso, fizeram algumas modificações:

  • O palco principal ficará localizado no outro extremo do recinto (de maneira a que o vento não se faça sentir tanto como na edição anterior);
  • Haverá atuações em simultâneo nos diferentes palcos com o intuito de criar diversidade;
  • A zona de alimentação alargada (para evitar as longas filas de espera);
  • O palco Comédia passará a ser novamente num coreto (como na 1ª edição);
  • Várias árvores passarão também a decorar o recinto, tornando o espaço mais verde e com sombra natural;

Relembramos aos mais distraídos que, tal como o ano passado, a localização deste evento é agora na antiga Seca do Bacalhau localizada a cerca de 500 metros de distância do local das edições anteriores a 2018. Uma excelente medida que tornou o recinto 5 vezes maior.

 

Mas e a música? Como está o cartaz este ano?

O Palco Santa Casa e o Bloco Moche certamente farão as delícias dos millennials mais novinhos e da Geração Y com nomes como: Joana Espadinha, The Lazy Faithful (para o pessoal mais apreciador de rock), João Só, Biya, Plutónio, Kappa Jotta, Valas, Bispo, Dj Oder (que encerrará o Bloco Moche todos os dias), entre tantos outros.

Mas as atenções estarão claramente voltadas para o Palco Meo.

 

19 de julho, sexta-feira

Mishlawi o jovem americano com residência tuga, fará as honras de abrir o palco principal. Podes reconhecê-lo nos seus temas Uber Driver, All Night, Rain feat. Plutónio e Ricchie Campbell e não será de admirar se Plutónio (que atua também nesse dia no palco Bloco Moche) fizer uma visitinha a Mishlawi como tem sido recorrente. Além de que a energia deste rapper e da banda que o acompanha é ótima para um ambiente de festival outdoor.

Depois dar-se-á o concerto da banda portuguesa Os Quatro e Meia e, às 22:00h em ponto, esperaremos pela banda britânica Keane. Os autores das míticas Somewhere Only We Know e Everybody is Changing estão de volta e relembramos que atuaram neste festival há precisamente 10 anos, em 2009.

A encerrar as atuações no palco Meo, teremos os Kodaline que irão substituir os Snow Patrol (para desgosto de muitos fãs e alegrias de outros) a banda indie irlandesa atuará assim pela 3ª vez neste festival. O ano passado fizeram parte do alinhamento do 2º dia, que esgotou. (Será que este ano começam novamente 10 minutos antes da hora marcada? 😄)

 

20 de julho, sábado

Para o segundo dia, as atenções voltam-se para banda britânica de rock comercial Don Broco e de seguida para o português Carlão. Este doninha já nos deu uma maravilhosa notícia esta semana, mas vê-lo a solo é sempre uma experiência igualmente positiva.

Contudo, as minhas atenções ficarão redobradas para a banda Mando Diao. Faz 11 anos que nos encontrámos em Paredes de Coura, e apesar de terem estado em Lisboa depois disso, nunca mais nos voltámos a ver. Espero que o reencontro com a banda de alternative rock sueca seja feliz, se bem que a grande fatia do público estará ansiosamente à espera de Ornatos Violeta.

Essa banda de peso portuguesa, que agora se volta a reunir passado anos de pausa, esteve na semana passada no NOS Alive e dará o único concerto a Norte do país este ano. Certamente, a não perder!

 

21 de julho, domingo

Já o último dia no palco principal está guardado para um público mais veterano. Depois de Tiago Nacarato, são os Morcheeba que sobem ao palco. Editaram o seu 9º álbum de estúdio em 2018, intitulado Blaze Away. Mas estão imortalizados nos seus temas mais antigos como Otherwise, The Sea, Blood Like Lemonade, entre outros. A vocalista Sky Edwards será a única vocalista do sexo feminino a subir ao Palco Meo este ano, com muita pena minha, visto ter achado o terceiro dia da edição anterior um sucesso no que toca a mulheres com música nas veias.

De seguida, atuará mais uma cara bem conhecida deste festival: Sting. O englishman vocalista dos The Police conseguiu ao longo dos anos uma carreira a solo bastante sólida e invejável, encontrando sempre em Portugal uma legião de fãs com que se identificar. Por sua vez, a terminar as atuações estarão os portugueses HMB. Com um som bastante mais pop e dançável do que o britânico que lhes antecede, será sem dúvida impossível sair do palco principal sem abanar o esqueleto.

 

🚨 A programação completa do festival está em musicfest.pt/festival-edicao/meo-mares-vivas-2019/ e podes usar o teu 📱 para marcar com uma ⭐️ os concertos que não queres perder!

Encontramo-nos em Vila Nova de Gaia?

Ana Duarte  

Estudou Línguas, Literaturas e Culturas na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Tem uns pais malucos que a levaram a concertos desde 3 anos e a festivais desde os 9. Passadas mais de 2 décadas, ainda por cá anda... P.S.: Leva o conceito de carpe diem muito a sério.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *