23 Nov 2018 a 24 Nov 2018

A euforia dos Jungle no Super Bock em Stock

A euforia dos Jungle no Super Bock em Stock

Os Londrinos regressaram a Portugal depois da passagem pelo Vodafone Paredes de Coura há uns meses e voltaram a fazer a festa, desta vez com o último disco For Ever já editado.

Minutos antes do início do concerto dos Jungle no Coliseu dos Recreios já a sala se encontrava praticamente intrasitável. Escusado será então dizer que a banda londrina não precisou de fazer muito para conquistar uma plateia que ansiava vê-la. Os temas viciantes e altamente dançantes que produzem fizeram metade do trabalho, sendo que a sua entrega incólume ao vivo e consequente espectáculo de luzes e coreografia encarregam-se do resto.

Com um alinhamento praticamente sem alterações tendo em conta o último concerto no Paredes de Coura deste ano, os Jungle souberam fazer a festa, que desde cedo se mostrou bastante efusiva com Smile, The Heat ou Platoon a puxarem pelas vozes (e telemóveis) dos presentes. Miúdas às cavalitas, camarotes a abarrotar, galeria completa e nem um único bocadinho de chão visível na plateia e um concerto que, não sendo espectacular (tendo em conta a excitação do público lisboeta, também não precisava de o ser), cumpria em todos os aspectos.

Teria sido a despedida perfeita de mais uma edição de Super Bock em Stock, mas os problemas técnicos que obrigaram Crumbler e Lemonade Lake a serem interrompidas por vários minutos acabaram por marcar negativamente o concerto mais festivo do festival.

Teresa Colaço  

Tem pouco mais de metro e meio e especial queda para a nova música portuguesa. Não gostava de cogumelos mas agora até os tolera. Continua sem gostar de feijão verde.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: Jungle


  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *