31 Out 2014 a 1 Nov 2014

Reportagem no 1º dia do Mazefest – Celebração de Halloween dos Moonspell

Reportagem no 1º dia do Mazefest - Celebração de Halloween dos Moonspell

A noite de ontem, e como tem sido de esperar neste Outono que também quer brincar ao Halloween e se mascarou de Verão, estava quente, mas mais quente se sentia o ambiente à entrada do Incrível Almadense em Almada, mais não fosse porque após vários anos de ausência era o regresso mais que esperado de Moonspell às noites míticas e já tradicionais de Beltane.

As conversas cá fora fluíam entre trocas de ideias, experiências e lembranças passadas, porque as faixas etárias para além de serem diversas não eram limitativas ou castradoras, uma das diversas coisas boas dos apaixonados pelo Dark Metal.

O concerto começou as 22h, já com o público a gritar o nome da banda fazendo a energia do recinto subir exponencialmente e os Moonspell não nos fizeram esperar, entrando com a música “I’ll See You In My Dreams” levando a multidão da esgotada Incrível ao rubro, e a partir dai foi sempre a subir.

Fernando Ribeiro continua imparável, assim como a restante banda, energia fabulosa, um contacto com o público de uma forma constante e única, acabando por nos fazer sentir que canta directamente para nós.

311014-moonspell-6

O concerto centrou-se muito nas músicas mais antigas sendo 50% baseado nos álbuns Irreligious, Wolfheart e Nigth Eternal.

Momentos altos, ou deverei dizer mais altos, sem dúvida na música “Opium” e “Scorpion Flower” com a participação de Carmen, dona de uma voz arrepiante e poderosa que fez a energia da sala arrebentar a escala e com a música “Aetegina” e “Alma Mater” onde todos cantaram e dançaram em plenos pulmões. Houve ainda tempo para uma surpresa na música “Em Nome do Medo” com a participação especial de alguém que, por ir coberto da cabeça aos pés, não conseguimos saber de quem se tratava.

Momentos menos conseguidos, pelo menos na opinião desta que vos escreve, a presença das bailarinas nas músicas “I’ll See You In My Dreams” (música de abertura) e “Opium”. A única musica onde as mesmas faziam sentido terá sido “Vampiria”, já que a produção muito ao estilo de Bram Stoker as tornou parte integrante do espetáculo.

No geral mais um concerto memorável e arrebatador desta que continua a ser, sem qualquer dúvida, a banda de referência Dark Metal em Portugal e não só. Aproveito e chamo a atenção para a homenagem feita no Brasil de um tributo que foi lançado na noite de ontem, ficamos a espera de um por cá já que sem dúvida é mais que merecido.

A noite prosseguiu em seguida no Cine Incrível com a presença dos For The Glory e Switchtense numa comunhão entre bandas muito boa já que na música “Life is a Carrocel” o vocalista dos Switch fez uma participação e durante a actuação destes o guitarrista fez questão de publicitar os For The Glory.

Na primeira parte tivemos então os For The Glory, uma banda num estilo diferente do que a noite prometia já que o estilo deles é Punk Hardcore, mas uma banda muito humilde com uma comunicação muito boa com o público. Após terem anunciado mais 4 músicas, e antes de darem lugar à banda seguinte, acabaram por apenas tocar mais uma. Ficámos sem perceber a razão para o término prematuro da actuação.

311014-fortheglory-1

Switchtense entrou em seguida, com estilo mais Trash Metal, mas com uma capacidade rítmica fabulosa. Ressalto o baterista que tem um power muito bom.

Momentos mais baixos no que diz respeito ao after party no Cine Incrível o tempo demorado de check sound.

311014-switchtense-1

Momento hilariante: a constatação que todas as músicas podem ser de embalar, já que reparámos numa senhora que, mesmo com todo o power screeming, de ambas as bandas dormia placidamente no ombro do marido.

No rescaldo? Uma noite memorável de regressos esperados e surpresas!

Vê todas as fotos dos Moonspell e For The Glory no Mazefest.

Paula Marques  

Observadora por natureza descobri cedo que quando se vê e não se olha apenas, descobrimos o mundo. Seja pela ponta da caneta ou a lente da câmera gosto de mostrar o que às vezes nos passa despercebido porque nos esquecemos de viver.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: For the Glory, Moonspell, Switchtense


  • Partilhar:

1 Comentário

  1. 7colinas diz:

    A figura coberta da cabeça aos pés era o vocalista dos Bizarra Locomotiva, Rui Sidónio.

    PS: escreve-se BraSil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *