7 Jun 2018 a 9 Jun 2018

O NOS Primavera Sound está quase aí e estes são os concertos que não vais querer perder

O NOS Primavera Sound está quase aí e estes são os concertos que não vais querer perder

De regresso ao Parque da Cidade nos próximos dias 7, 8 e 9 de Junho, o NOS Primavera Sound volta a apresentar um cartaz recheado de nomes imperdíveis, grandes promessas e possíveis surpresas. Para que não te falte nada, aqui ficam as nossas sugestões de concertos a não perder na edição deste ano.

Antes do arranque oficial do certame, vale a pena lembrar que no dia 6 de Junho o NOS Primavera Sound sobe à Avenida dos Alliados e faz a festa com Fatboy Slim, num concerto de entrada gratuita.

7 de Junho

Já no Parque da Cidade, recomendamos dar início às festividades ao som dos ritmos quentes de Cabo Verde. São os Fogo Fogo, que todos os meses fazem suar as paredes da Casa Independente ao som do melhor funaná, que terão as honras de abertura do certame, subindo ao palco SEAT às 17h30. Para quem só contar chegar mais ao final da tarde ao recinto, terá o pós-punk dos escoceses The Twilight Sad a recebê-los, no mesmo espaço pelas 19h15, e, convenhamos, não há nada como um bom shoegaze para começar a noite.

Há depois dois regressos a solo nacional que valem a pena: primeiro, às 20h05, Mike Milosh (aka Rhye) entrará em cena com o seu R&B melancólico e voz inconfundível no palco NOS, depois de no verão passado ter estado no NOS Alive e em 2016 no Super Bock Super Rock. Depois, pelas 20h25, é o fenómeno Father John Misty quem dará entrada no palco SEAT. À boleia do último trabalho Pure Comedy, o ex-Fleet Foxes visita agora a invicta depois de ter esgotado o Coliseu dos Recreios, em Lisboa, em Novembro do ano passado e ter actuado em 2016 no NOS Alive, e será provavelmente dono de uns dos concertos mais concorridos desta edição.

Às 20h55 é outro escritor de canções irreverente que deverá roubar todas as atenções. Ninguém quererá perder Erza Furman, que se estreia em Portugal com Transangelic Exodus, disco lançado este ano, e que certamente provocará estrondo no Parque da Cidade. Quem procurar temas desconcertantes, voz aguerrida e letras introspectivas sentir-se-á em casa na sua companhia, junto ao palco Super Bock.

“O futuro da música”, foi o que David Bowie lhe chamou. Ela não se deixou levar pela pressão e lançou no final do ano passado Melodrama – belíssima obra pop que ecoará no Parque da Cidade a partir das 22h, no palco NOS. Lorde já não é (só) a miúda de Royals e a expectativa para com os novos temas é alta. E por falar em altas expectativas, às 23h20 acontecerá um dos concertos mais aguardados pelos fãs de hip hop do nosso país. Depois de ter cancelado a tournée europeia que o traria ao Super Bock Super Rock do ano que passou, Tyler, The Creator estreia-se finalmente em Portugal neste NOS Primavera Sound. Consigo traz um dos mais aclamados discos do último ano, Flower Boy, que o consagrou como um dos grandes nomes do género da actualidade. A não perder.

A fechar a noite fica Jamie XX, que já é presença habitual nos festivais nacionais (tanto a solo, como em dj set ou parte integrante dos The XX) e que já sabemos ser um óptima companhia para as primeiras horas da madrugada (palco NOS, 00h25).

8 de Junho

O segundo dia começa também com música portuguesa, mais precisamente, com o rock psicadélico dos barcelenses Black Bombaim, às 17h00, no Palco Super Bock. 45 minutos depois, uma das bandas revelação do ano que passou por terras de sua majestade sobe ao palco NOS. São os Idles, que trazem consigo o disco de estreia Brutalism. Os fãs de punk e pós-punk não vão querer perder.

Um concerto que muitos não quererão perder será também o de Amen Dunes, às 18h00 no palco SEAT. Depois de há dois anos ter realizado uma residência artística no nosso país, Damon McMahon regressa agora com o muito aclamado Freedom e a sua indie folk sonhadora e dançável apesar dos temas duros que as letras abordam. Uma hora depois, o palco Pitchfork recebe uma das maiores promessas presentes no cartaz: Yellow Days. A voz profunda, os toques a R&B e blues, pontuados com alguma electrónica e uma interpretação notável fazem de George van den Broek um pequeno prodígio que já é comparado a nomes como King Krule ou Mac DeMarco.

O início da noite ficará marcado pelo regresso de Kim Deal a Portugal. A ex-baixista dos Pixies vem desta vez acompanhada pela sua irmã gémea e as suas Breeders, uma das bandas de rock alternativo que mais deixa saudades dos anos 90 e que às 19h50 sobe ao palco NOS. Do rock norte-americano ao experimentalismo das francesas de origem cubana e venozuelana Ibeyi, que às 20h45 sobem ao palco Pitchfork, pode ser um salto inesperado, mas acreditamos que vale a pena. O duo que junta influências da música afro-cubana ao electro soul tem novo disco na manga e estreiam-se agora em Portugal. Quem já não é novidade nos palcos dos festivais nacionais são os Grizzly Bear, que às 20h50 levam o seu mais recente Painted Ruins ao palco SEAT.

Às 22h20, pouco depois de uma das novas promessas do hip hop norte-americano pisar o palco pela primeira vez no nosso país (Vince Staples, palco NOS, 22h15), os Superorganism apresentam o seu art pop despreocupado no palco Pitchfork. O “super grupo” de oito membros de chancela Domino Records é um fenómeno bem recente e promete festa. Quem quiser continuar ao ritmo livre leve e solto ficará pelo palco Pitchfork para Thundercat, o ultra experiente baixista que a solo apresentará as melodias R&B de Freedom, um dos discos mais celebrados do ano passado, pelas 23h30. Já quem preferir uma experiência mais desafiante não quererá perder Fever Ray, que pisa o palco SEAT às 00h. A sueca que em tempos foi metade dos The Knife trará a sua electrónica imersiva e um espectáculo visual marcante, como já é habitual desde que se apresenta a solo.

No palco NOS, às 00h45, o cabeça de cartaz A$AP Rocky será centro de todas as atenções. É mais uma estreia em solo nacional de um dos maiores nomes do hip hop norte-americano da actualidade, o que demonstra a forte aposta do NOS Primavera Sound neste género musical no cartaz deste ano. Pouco depois, às 01h00, o palco Pitchfork recebe os Unknown Mortal Orchestra, banda já conhecida do público nacional (estiveram no Vodafone Paredes de Coura em 2016, no SBSR em 2015 e no Alive em 2014) que desta vez tem Sex & Food, o novo disco, para apresentar.

9 de Julho

O derradeiro dia de Primavera arranca, como habitual, com um nome português no palco SEAT. Luís Severo e a sua pop simples e emocional entrarão em cena às 17h e apostamos que serão muitos os que acompanharão as letras do início ao fim. Uma hora depois, o rock & roll animado dos australianos Rolling Blackouts Coastal Fever tomará conta do mesmo palco, a convidar um gingar de anca despreocupado antes dos nomes pesados que se seguirão noite dentro.

Um desses nomes pesados é Kelela, que casa R&B contemporâneo e electrónica progressiva a uma voz angelical e uma sensualidade sem par. Depois de tomar de assalto as listas de melhores discos do género no ano passado, a autora de Take Me Apart certamente não deixará ninguém indiferente quando pisar o palco Super Bock às 18h50.

De regresso a Portugal depois da visita ao minho em 2014, os Public Service Broadcasting oferecem um espectáculo que junta elementos visuais aos seus temas, construídos com recurso a audio clips de emissões televisivas e radiofónicas e melodias à guitarra, os crescendos criados e melodias imersivas são o ponto forte deste grupo que alia ainda spoken word à experiência sonora e visual que propõem. Quem se aventurar pelo palco SEAT, pelas 20h30, não se vai arrepender.

Imperdível é o concerto que se segue. De regresso a Portugal depois de em 2013 ter marcado presença neste mesmo festival, Nick Cave e os seus Bad Seeds sobem ao palco NOS pelas 22h. O australiano, que em 2016 lançou Skeleton Tree depois da traumática perda do filho no ano anterior, tem sido elogiado pelos concertos altamente emotivos nesta digressão, pelo que será de esperar nada menos que um grande concerto neste último dia de NOS Primavera Sound. Logo de seguida, a escolha é complicada entre uma das mais festejadas bandas de rock & roll dos últimos anos (War On Drugs, palco SEAT, 23h40) e a surpreendente junção de música clássica com electrónica, através da combinação do piano clássico com sintetizadores (Nils Frahm, palco Super Bock, 23h40).

Para o final da noite apontamos direcções ao regresso dos veteraníssimos Mogwai ao nosso país. Os escoceses mestres do pós-punk pisam o palco NOS às 00h45. Quem se aventurar até mais tarde não deverá perder o espectáculo sónico-visual do sempre surpreendente Arca (02h30, palco Pitchfork).

Ao longo dos três dias de festival, muita música irá ecoar pelos seis palcos espalhados pelo Parque da Cidade. Para além destes, são muitos os nomes que estarão presentes na edição deste ano do NOS Primavera Sound, pelo que podes sempre consultar aqui os horários completos bem como marcar, com ⭐ no teu telemóvel, os concertos que não queres perder.

Teresa Colaço  

Tem pouco mais de metro e meio e especial queda para a nova música portuguesa. Não gosta de cogumelos.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: A$AP Rocky, Amen Dunes, Arca, Black Bombaim, Ezra Furman, Father John Misty, Fever Ray, Fogo Fogo, Grizzly Bear, Ibeyi, Idles, Jamie xx, Kelela, Lorde, Luís Severo, Mogwai, Nick Cave, Nils Frahm, Public Service Broadcasting, Rhye, Rolling Blackouts Coastal Fever, Superorganism, The Breeders, The Twilight Sad, The War on Drugs, Thundercat, Tyler The Creator, Unknown Mortal Orchestra, Vince Staples, Yellow Days


  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *