7 Jun 2018 a 9 Jun 2018

NOS Primavera Sound apresenta 65 nomes para a edição 2018

NOS Primavera Sound apresenta 65 nomes para a edição 2018

A organização do NOS Primavera Sound anunciou hoje no Facebook, como sempre de uma forma original, o cartaz para a edição 2018 do festival que se realiza de 7 a 9 de Junho no Parque da Cidade do Porto.

Os destaques vão para Nick Cave, Tyler The Creator, Lorde, Fever Ray, A$AP Rocky, The War on Drugs, Breeders, Father John Misty, Jamie xx, Unknown Mortal Orchestra, entre muitos outros nomes.

O cartaz completo pode ser consultado em musicfest.pt/festival-edicao/nos-primavera-sound-2018/ e os bilhetes estão à venda na nossa bilheteira online.

NPS'18

Tickets: http://bit.ly/TicketsNPS2018

Publicado por NOS Primavera Sound em Quinta-feira, 8 de Fevereiro de 2018

 

Press release NOS Primavera Sound:

Depois do Primavera Sound desvendar o seu cartaz para a edição deste ano, o NOS Primavera Sound apresenta a sua programação. A sétima edição do NOS Primavera Sound continuará a crescer de forma sustentável, depois de ter batido o seu record de assistência em 2017, com cerca de 90.000 pessoas.

A CONSAGRAÇÃO DE TRÊS GERAÇÕES

Os três grandes cabeças de cartaz do NOS Primavera Sound 2018 explicam, de forma contundente, a música contemporânea de hoje: ao lado do rock sem rede de segurança de Nick Cave and The Bad Seeds, que apresentam finalmente em palco o catártico Skeleton Tree já convertido num clássico, estará A$AP Rocky, o novo rei do hip hop a nível mundial (que apresentará o seu ansiado terceiro álbum) e a estrela em ascensão da música pop deste século, Lorde, aclamada pela crítica com o seu segundo disco, Melodrama. Classicismo, modernidade e futuro reunidos num mesmo cartaz.

UM CARTAZ NO PRESENTE

Aos cabeças de cartaz soma-se um conjunto de outros nomes, representantes do ADN do festival. Desde The War On Drugs, já convertidos numa das bandas rock imprescindíveis desta geração, até ao imparável Jamie xx na sua faceta de DJ, passando por artistas de peso como Father John Misty e Mogwai, o vanguardismo sonoro de Arca, o som arriscado de Fever Ray e Nils Frahm, clássicos do indie rock como Grizzly Bear, Ezra Furman e Wolf Parade, o fenómeno do R&B Rhye e Abra ou a sonoridade psicadélica e multicolor de Unknown Mortal Orchestra.

ECLETISMO E ATREVIMENTO

Só um cartaz completo, diverso e arriscado consegue colocar lado a lado o metal sem clemência de Zeal & Ardor, o pop urbano de Mavi Phoenix e o punk sem concessões de Flat Worms, a paisagem sonora dos Public Service Broadcasting e o edonismo exarcebado de Gerd Janson, a experimentação electrónica de Four Tet (em formato live) e o cantautor obscuro Yellow Days.

Tal como o irmão de Barcelona, o NOS Primavera Sound não esquece o actual panorama musical e, além de A$AP Rocky, o festival conta com a actuação de duas das estrelas de maior projecção do género como são Vince Staples e Tyler, The Creator, ambos com novos e celebrados trabalhos para apresentar, e ainda distintas variantes do género como Kelela, a misturadora de estilos Thundercat ou as francesas de ascendência cubana Ibeyi.

NOS PRIMAVERA SOUND ESCREVE-SE NO FEMININO

Prontas a demonstrar por que o futuro da música passa pelo feminino, também as mulheres farão parte do motor do NOS Primavera Sound 2018. A nova líder Lorde, no topo do cartaz, estará bem rodeada por nomes com longas carreiras como Fever Ray e The Breeders, além de um rasto ensurdecedor de novas artistas que vão das já mencionadas Kelela e Ibeyi a Mavi Phoenix, Waxahatchee, Kelsey Lu, Superorganism, Jay Som, Vagabon, Alex Lahey, Belako e Mattiel, passando por Helena Hauff, Shanti Celeste e OR:LA e Avalon Emerson no campo da electrónica.

A CELEBRAÇÃO DA PISTA DE DANÇA

É neste campo que o festival apresenta uma presença forte com os novos representantes do género como Jamie xx, Floating Points (em formato o Solo Live) e Four Tet (para apresentar ao vivo o seu novo álbum, New Energy) junto a propostas estimulantes como as de Talaboman (união de John Talabot e Axel Boman), Joe Goddard (a alma dos Hot Chip), Marcel Dettmann, Motor City Drum Ensemble, Denis Sulta, Levon Vincent, Mall Grab e Helena Hauff.

AQUI NÃO HÁ LETRAS PEQUENAS

Ao lado do regresso de nomes conhecidos do festival, como Shellac, o NOS Primavera Sound mostra uma vez mais que continua a fazer as suas apostas naqueles que serão os cabeças de cartaz do futuro. Entre eles estão o pop viciante e fluorescente de Superorganism, as melodias nocturnas de Yellow Days, os explosivos Starcrawler e as guitarras refrescantes de Rolling Blackouts Coastal Fever, bem como Idles, Metá Metá e Belako e Oso Leone, dois dos grupos com maior projecção internacional da cena musical espanhola. Da cena portuguesa chegam Fogo Fogo, com a música de homenagem aos ritmos caboverdianos, o rock pulsante de Solar Corona, Luís Severo, que apresenta o aclamado último álbum, o Foreign Poetry, resultado da troca de ideais musicais de dois compositores e multinstrumentalistas, o power-trio Black Bombaim, o house, disco e outras misturas de Tiago, Caroline Lethô e DJ Lycox e ainda Moullinex, nome forte da electrónica portuguesa de regresso aos álbuns com uma mensagem de amor e afirmação política.

 

Foto: Hugo Lima / NOS Primavera Sound 2017


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: A$AP Rocky, Father John Misty, Fever Ray, Jamie xx, Lorde, Nick Cave, The Breeders, The War on Drugs, tyler, Tyler The Creator, Unknown Mortal Orchestra


  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.