5 Set 2014 a 7 Set 2014

Não há festa (nem chuva) como esta! O segundo dia do Avante 2014.

Não há festa (nem chuva) como esta! O segundo dia do Avante 2014.

O programa de sábado prometia: Diabo na Cruz, Celina da Piedade, The Legendary Tiger Man, A Naifa – com a participação especial de Simone de Oliveira e Ana Deus – , ÓqueStrada, Jorge Palma & Demitidos. Para quem consultou o site do Instituto Português do Mar e da Atmosfera já se sabia que o sábado prometia alguma chuva.

A tarde começou animada com a banda Booster, que abriu o palco 25 de Abril, pelas 14h. A banda nacional, formada em 2008, teve honras de abertura de uma tarde que se revelou efectivamente quente e húmida, em jeito de clima tropical, algures entre um “e o sol brilhará para nós” e “e a chuva cairá sobre nós”. Cairá  e caiu.

Pelas 16h e com direito à já tradicional apresentação de Cândido Mota – presença assídua da Festa a quem compete fazer  as honras da casa – Diabo na Cruz toma posse do palco 25 de Abril. A banda portuguesa iniciou a sua passagem pelo Avante com “Vida de Estrada”, um tema que fala das vidas de todos nós e das estradas que cada um percorre. Entre o rock e o baile da aldeia, a banda constituída por Bernardo Barata, João Pinheiro,João Gil, Manuel Pinheiro, Sérgio Pires e Jorge Cruz, foi protagonista de um dos concertos mais animados deste segundo dia de Avante, com direito a vários “e virou!” profundamente entusiastas.

Jorge Palma & os Demitidos tomaram lugar no palco 25 de Abril, pelas 19h. Jorge, o seu piano, as suas letras e a sua voz inconfundível levaram uma multidão a cantar, de sorriso aberto: “deixa-me rir”. A banda Os Demitidos acompanha Jorge desde 2008, tendo sido o Avante o local escolhido para acompanhar também o inegualável Sérgio Godinho que interpretou, entre outros, o tema Liberdade. O palco 25 de Abril entrou ao rubro; afinal “só há liberdade a sério quando houver a paz, o pão, habitação, saúde, educação”.

De Espanha chegaram-nos os Sonido Vegetal, que trouxeram o gipsy punk espanhol ao palco 25 de Abril. Em 2013 lançaram o álbum “Las Bases del Razionamento”, tendo assumido, desta forma, o papel da primeira banda a editar gipsy punk em terras de nuestros hermanos. Sonido Vegetal soube animar um público que se revelou entusiasta com a banda à qual pertence o outrora guitarrista dos Gogol Bordello, Oren Kaplan.

Enquanto isso, no auditório 1º de Maio, Celina da Piedade – acompanhada de grandes músicos – foi responsável por momentos descontraídos, de dança e de celebração da música portuguesa. A acordeonista e cantora tem um currículo invejável de colaborações com nomes de referência, como Rodrigo Leão e fez questão de partilhar com todos a alegria de participar na Festa.

Marta Miranda, João Lima e Pablo – conhecidos como ÓqueStrada – brindaram os presentes com o “swing único e cosmopolita inspirado nas raízes de música portuguesa” – para usar as palavras de Sarah Jessica PArker, repetidas aos microfone do Avante pela voz de Cândido Mota. A noite – que se ia anunciando cada vez mais chuvosa – revelou-se, aqui, dançante e despreocupada com as gotas de água que refrescavam os milhares de pessoas presentes.

Pelas 22h, A Naifa subiu ao palco 25 de Abril, para nos deliciar com “esta depressão que me anima”, tendo partilhado o palco com Simone de Oliveira e Ana Deus. A banda presenteou-nos com uma versão do tema “Inquietação”, de José Mário Branco, que já foi alvo de uma versão por parte dos portugueses Dead Combo e Camané – fadista que irá subir ao palco do auditório 1º de Maio, no último dia do Avante 2014, em jeito de encerramento da 38ª edição da Festa.

A chuva intensa que se fez sentir na Quinta da Atalaia leva-me a pensar que São Pedro será fascista – ou, em alternativa… fascista. Após três horas debaixo de chuva e muita hesitação, a equipa #horariosfestivais pensou, ponderou e vivenciou o refrão bazamos ou ficamos dos Mind da Gap (que irão subir ao palco 25 de Abril, às 15h de domingo). Verdade seja dita. The Legendary Tiger Man e Nu Soul Family (com Marta Ren) eram dois dos concertos que tínhamos assumido na nossa to do list. Todavia, acabamos por nos reduzir ao estado de pessoas humanas encharcadas até à medula e abandonamos o recinto ainda antes da Festa terminar. E, acreditem, foi com muita pena nossa.

Aguarda-nos um terceiro e último dia da Festa com direito a (Kumpania) Algazarra, Paulo de Carvalho,  Gonçalo Bilé, Carla Pires, Buraka Som Sistema e Camané. Será pedir muito que não haja chuva como esta?

Joana Rita  

Joana Rita é filósofa, criadora de conteúdos, formadora e investigadora. Ah! E uma besta muito sensível.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: A Naifa, Celina da Piedade, Diabo na Cruz, Jorge Palma, Nu Soul Family, OqueStrada, Sonido Vegetal, The Legendary Tigerman


  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *