“Mas vais praonde?” – para o concerto do Anselmo, or’essa!

"Mas vais praonde?" – para o concerto do Anselmo, or’essa!

O senhor da FNAC disse-me que o concerto ia começar mesmo às 21h. Sublinhou duas vezes. E eu, que sou muito bem mandada, organizei-me atempadamente para que estivesse no meo arena à hora marcada. Cheguei pelas 20h30 e as filas eram impressionantes – li mais tarde, algures no twitter, que estiveram 18500 pessoas a assistir ao concerto do Pedro Abrunhosa angolano – aka Anselmo Ralph.

Os DJ’s da RFM animavam os milhares de pessoas que iam chegando e compondo a grande sala de espectáculos. Pelas 21h22 aparece no écran do palco uma “final countdown” que começou nos 10 minutos. Foi a histeria. Acho que desde o concerto do Tony Carreira que não se ouvia tanto grito meo arena fora. Crianças, adolescentes, senhoras de alguma idade: a moldura humana era muito diversificada. Anselmo chegou, viu e venceu e este concerto que assinalou os seus 10 anos de carreira é prova disso. Um artista amado e consagrado no nosso país – goste-se ou não do estilo kizombeiro e dos ritmos africanos.

O concerto começa com um vídeo que resume a carreira do artista – e que fala da sua vida e do seu percurso de luta até chegar ao estrelato. Humilde, feliz, de sorriso aberto: foi assim que Anselmo subiu ao palco, com a música Aplausos para ti.

A noite incluía a presença de muitos convidados: Raquel Tavares, fadista, foi a primeira a partilhar o palco com o angolano. Seguiu-se o lendário Paulo Flores, dono de uma voz inconfundível e uma referência para quem acompanha as noites kizombeiras – tão na moda no nosso país. E a culpa disso (também) é de Anselmo Ralph e de uma música que toda a gente conhece – mesmo que não abane a anca ao som da mesma: Não me toca. Esta música foi o “visto dourado” do cantor, em Portugal. E também teve lugar no alinhamento do concerto de 8 de Dezembro, tendo sido partilhada com Anitta.

Landrick, Zona 5, Nando, Anna Joyce, Leo Santana, Daniela Mercury e uma mão cheia de mini-cantores que participaram no programa The Voice Kids partilharam o palco com Anselmo e com uma banda, bailarinos e coros que transpiram qualidade.

Pelo meio, Anselmo foi distinguido com o prémio artista do ano, pela RFM, e recebeu ainda o disco de platina. O cantor transbordava felicidade e ainda pregou a partida à sua mulher, fazendo-a subir ao palco para lhe cantar a música Única mulher.

Anselmo cresceu como artista e isso nota-se na diferença – para melhor – do seu espectáculo face àquele que assisti há um ano, aproximadamente, no Campo Pequeno. Desde então Anselmo fez muitos quilómetros, festivais, encheu salas como o Coliseu de Lisboa e através da televisão conseguiu conquistar os portugueses. Muitos portugueses – até a minha mãe, que me acompanhou nesta noite e me dizia no regresso a casa: “O rapaz estava mesmo feliz. E se fosse por ele tinha levado ainda mais convidados. Podia ter começado o concerto às 16h!”

Foto: Marco Almeida, Festival Sol da Caparica

Joana Rita  

Joana Rita é filósofa, criadora de conteúdos, formadora e investigadora. Ah! E uma besta muito sensível.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: Anselmo Ralph

  • Partilhar:

1 Comentário

  1. Marina Cauarina Nunda Horàcio diz:

    Eu sua fâ anselmo desde que nasce. Sou romantica tambem graçâs a te e as suas mùsicas eu te amo muito anselmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.