9 Mar 2018 a 10 Mar 2018

Lisboa Dance Festival com line-up fechado

Lisboa Dance Festival com line-up fechado

A electrónica portuguesa é reforçada no alinhamento do Lisboa Dance Festival com DJ Marfox, Miguel Torga e Himan. Num evento em que a música é fortemente celebrada, o espaço de debate bastante privilegiado pelo festival – as TALKS – tem como um dos pontos centrais o movimento cultural de Lisboa e a própria cidade em si.

Se é para celebrar, o evento disponibiliza o já tradicional “Pack Love Affair” para o Dia dos Namorados, a 14 de Fevereiro, 2 passes pelo valor de 69€, disponível de 23 janeiro até 14 de fevereiro.

A produção nacional está em ebulição. O volume é rico e artistas como Miguel Torga e Himan são reflexo de um trabalho consistente na área do house e techno. O “som de Lisboa” tem sido transportado pelo mundo por alguns porta-estandartes da cena electrónica nacional. DJ Marfox é a mais recente confirmação no festival e é definido como um dos elementos fundamentais de uma sonoridade única que Lisboa proporciona.

DJ Marfox é uma autêntica lenda urbana, suburbana e do guetolisboeta. O seu mais recente, e aclamado, disco “Chapa Quente”(Príncipe Discos, 2016), figurou em alguns dos tops mais destacados no final do ano (FACT, XLR8R, Mixmag…) e foi nomeado para ‘Disco do Ano’ nos Prémios Time Out. A sua inigualável visão de techno barrocoe ritmicamente expansivo, imbuído de Garage, Bass e Batida (Kuduro instrumental), tem seduzido e cativado público e crítica pelo mundo fora. Cá, é presença regular e aclamada nas Noites Príncipe.

Pontuada por paisagens hipnóticas e ritmos intensamente físicos, a obra de Miguel Torga tem como conceito principal produzir música electrónica em português: techno e house com identidade nacional. Esta identidade é estabelecida através do uso de vocalizações na língua de Camões, de samples de cinema português e também através da constante referência a símbolos nacionais e cultura portuguesa. A sua música é editada por editoras estrangeiras, como a berlinense Aroma Music; luso-alemãs, como a Con+ainer Music; e também nacionais, como é o caso da Freima Labs e da Elements Recs. As suas actuações ao vivo já puderam ser dançadas por todo o país e em Março é a vez do Lisboa Dance Festival dançar ao som de Miguel Torga.

Reconhecido por trabalhos em editoras como Freerange Records, Connaisseur ou Cocoon, Himan é um dos donos da editora inglesa Release Sustain Recordings. Conta com mais de 20 EPs digitais e já foi remisturado por nomes internacionais como Uner, Tiefschwarz, Of Norway, Daso, Basic Soul Unit, Brendon Moeller e Patrick Chardronett. O seu tema “Inside You”, remisturado por Maceo Plex para uma compilação da editora Espanhola Galaktika Records, foi um dos seus maiores sucessos. Recentemente, os Art Deparmentescolheram um dos temas que foi lançado na “sua” editora para uma compilação que irá sair na FABRIC em Londres.

Primeiras confirmações para as talks

Nas TALKS, participam, entre oradores e moderadores, personalidades como Branko (músico e produtor nacional com uma carreira ímpar além fronteiras); Ryan Miller (da plataforma internacional Resident Advisor); jornalistas como Vítor Belanciano e Luís Oliveira; Rui Murka (agente de artistas como Beatbombers e DJ Ride, entre outros); Pedro Gonçalves (diretor de marketing da KIA); Karla Campos (fundadora da Live Experiences e criadora do conceito Lisboa Dance Festival); e ainda outras personagens incontornáveis ao debate, tendo a coordenação geral de Rui Miguel Abreu.

1: Marcas na música: como equilibrar interesses artísticos e comerciais no presente?

Num mercado tão específico como é o português, a relação das marcas com a música é uma realidade premente e incontornável, geradora de incríveis oportunidades, mas igualmente potenciadora de possíveis tensões. Como se harmonizam os diferentes interesses de marcas, artistas e produtores? Um debate que importa ter de forma franca, sobretudo no terreno das músicas electrónicas onde essas relações têm rendido férteis resultados.

Moderação: Rui Miguel Abreu

2: LX: uma cidade que dança com turistas

Lisboa é um dos mais vibrantes destinos atuais, ideia reiterada por inúmeros artigos na imprensa especializada e realidade facilmente comprovável por quem circula na cidade. Os festivais de música e outros eventos culturais têm, obviamente, um papel importante na captação das atenções de quem elege Lisboa como destino das suas férias. Estarão esses eventos a ser pensados nessa perspectiva?

Moderação: Luís Oliveira (Antena 3)

3: Lisbon is the new what? Como é que Lisboa é vista de fora?

A vibrante cena musical lisboeta e a oferta em termos de festivais têm convidado a atenção de muitos pensadores internacionais sobre a nossa cidade. Por outro lado, Lisboa apresenta suficientes atrativos para seduzir muitas mentes criativas, artistas e outros agentes da indústria que têm eleito esta cidade como base para o seu trabalho.

Moderação: Vítor Belanciano (Público)

Primeiras confirmações oradores TALKS:

Branko | Vítor Belanciano (Público) | Ryan Miller (Redident Advisor) | Luís Oliveira (Antena 3) | Rui Murka | Karla Campos | Rui Miguel Abreu | Pedro Gonçalves – Dir Mkt KIA

O novo local- Hub Criativo do Beato

Um antigo complexo fabril estilo Estado Novo, que foi durante a Guerra Colonial um centro de produção e armazenagem de bens alimentares para as Forças Armadas, situado no Beato – uma das zonas da cidade mais efervescentes, com um forte cunho underground.

O Hub Criativo do Beato propõe-se ser um dos maiores pólos de empreendedorismo e inovação na Europa, com uma forte presença das indústrias criativas que irão poder explorá-lo, de palco em palco, pelas salas mais improváveis, durante os 2 dias de Lisboa Dance Festival.

 

Fonte: Press Release


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: DJ Marfox, Himan, Miguel Torga


  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *