The Tallest Man On Earth no CCVF em Guimarães: quando se é ainda “mais alto” ao vivo e a cores

The Tallest Man On Earth no CCVF em Guimarães: quando se é ainda “mais alto” ao vivo e a cores

Um dos artistas mais formidáveis do indie folk voltou a Portugal com a “tour” do EP When The Bird Sees Solid Ground. Já nos tinha brindado com 5 webisódios do EP desde 2017 e transportou-os agora para o palco, num tom ainda mais pessoal.

Com lotação esgotada há semanas, um palco embelezado por fumo de cena e com luzes expelidas através de tubos RBG: assim entrou o sueco “mais alto do Mundo” em cena. Kristian Matsson que actua com o “stage name” The Tallest Man On Earth já não é um estranho a percorrer os palcos do nosso país. Desta vez, não trouxe banda a acompanhar, entrou sozinho, e assim permaneceu durante toda a actuação. Presenteou-nos com um espectáculo no qual provou, mais uma vez, porque esgota salas e porque muitos o equiparam a Bob Dylan.

Alternando entre uma guitarra acústica, uma eléctrica, um banjo, um piano e até uma guitarra portuguesa; deu um típico “one-man show”, sempre apoiado por um brilhante jogo de luzes. Percorreu o palco de uma ponta à outra, numa procura constante por aparências com as quais se conectar e permaneceu muito além da comum relação artista-espectador.

You guys are super quite and polite, I like that, seriously

Conseguir silenciar e entreter uma audiência durante uma hora e meia não é um feito que muitos conseguem alcançar. O público do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, foi exemplar para este tipo de concerto. A voz de TMOE nesta performance mais acústica, ecoou de tal maneira que deixou a audiência mesmerizada do ínicio ao fim. Entre canções, foi-nos deleitando com o seu lado cómico que atenua o poder contemplativo e lastimoso da sua música.

Como é sabido, Tallest Man On Earth debruça-se sobretudo na temática dos seus mais profundos amores e desamores. Para além do seu último EP, explorou temas a lançar num próximo álbum (a sair ainda em 2019) e temas mais antigos como To Just Grow Away, Love is All, The Gardener e até Kids On The Run, de modo celebrar uma carreira que já conta com 13 anos.

Não consigo descrever a grandiosidade de todas as músicas tocadas naquela noite fria de 24 de Fevereiro. Nos momentos mais notáveis da noite, destaco o tema Time Of The Blue. Aqui, conseguiu deixar a lágrima “intelectual” no cantinho do olho, até aos fãs que se consideram mais inabaláveis (sim, aqui me incluo). Mas para as delícias de uma plateia que sempre se mostrou passiva e contemplativa, King of Spain e The Dreamer levam o cunho das canções mais celebradas da noite.

O arranjo mais acústico e folk que Kristian consegue dar à sua performance, torna-o muito melhor ao vivo do que em gravações. É algo indescritível e que só mesmo presenciado se sente. Esqueçam o Youtube e o Spotify, nada faz juz à sua qualidade vocal e instrumental como uma performance ao vivo. Valeu completamente a pena!

 

N.R.: Por motivos de agenda, não nos foi possível fazer reportagem fotográfica no concerto de Guimarães, pelo que as fotos são concerto de Aveiro

Ana Duarte  

Estudou Línguas, Literaturas e Culturas na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Tem uns pais malucos que a levaram a concertos desde 3 anos e a festivais desde os 9. Passadas mais de 2 décadas, ainda por cá anda... P.S.: Leva o conceito de carpe diem muito a sério.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: The Tallest Man on Earth

  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *