Sonhemos então com um fantasma – Os Beach House no Sá da Bandeira

Sonhemos então com um fantasma - Os Beach House no Sá da Bandeira

À chegada do Teatro Sá da Bandeira, a fila era longa – virtude talvez do aparato policial. Coisas aconteceram que levaram a isto, mas era noite de alegria e de sermos encantados.

Ressalvo que entre Dustin Wong e Beach House ocorreu um “estalo” no sistema de som e o silêncio nervoso foi bem audível no Teatro de má fama. De seguida, um sorriso nervoso geral e contagiante…

 

A primeira parte foi assegurada por Dustin Wong, o guitarrista de Ponytail, que com a timidez que lhe é natural trouxe e mostrou o que melhor faz.

Samples, barulhos estranhos em loop e rock como um forma de arte.

Dustin_Wong (11 of 11)

Envolto numa nuvem de fumo, descalço e com o sorriso de um petiz que vai actuar em frente aos seus amigos assim nos foi apresentado. Mas o que se viu e ouviu depois foi a precisão e atenção ao detalhe asiático, se me for perdoado o estereotipar.

 

Porém e infelizmente tudo esperava pelas 22:30.

Sombrios, discretos Alex e Victoria sobem ao palco e são alvo da primeira ovação, o que se seguirá será um pequeno – é sempre pouco – sonho pop.

Beach_House (1 of 17)

Levitation do Depression Cherry embala a multidão na noite fria e durante uma hora e trinta percorrem o seu curriculum mais que conhecido.

Bloom, Teen Dream, Thank Your Lucky Stars e Beach House tiveram também honras, mas alguém diria que faltou sempre “aquela” – pessoalmente posso dizer que faltaram Norway e Take Care, mas isto sou eu.

Seguiu-se Walk In The Park e percebe-se que para estes dois isto será 1 passeio, fruto da sua cumplicidade.

PPP, All Your Yeahs, Silver Soul e voamos em direcção ao espaço neste sonho e a Space Song.

10 Mile Stereo e Victoria Legrand com uma voz cansada, sombria reforça que nos disseram que íamos longe, mas que não sabiam até onde iríamos, e assim foi do espaço chegados rumamos ao mar.

Estrelas como pano de fundo e lá vamos rumo a Myth.

Beach_House (14 of 17)

 

What comes after this? Momentary bliss. The consequence of what you do to me.

Tudo verdade, porém o que se segue é o encore em que visitam The Traveller e Irene e com o ele o fim.

Foi uma mostra, porém curta, do estado da arte da dream pop que tivemos no Sá da Bandeira e seu fantasma.

 

aqui todas as fotos de Dustin Wong e Beach House no Teatro Sá da Bandeira.

Hugo Sousa  

Hugo de nome de baptismo, também responde a quem lhe chamar relva. Apenas mais um com tempo livre a mais, tempo dedicado a música, cinema e geekices.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: Beach House, Dustin Wong

  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.