Lendário John acaba na Jamaica – O 1º dia do MEO Marés Vivas

Lendário John acaba na Jamaica - O 1º dia do MEO Marés Vivas

O Festival Marés Vivas abriu ontem portas pelas 17h00 na praia do Cabedelo, em Vila Nova de Gaia, para aquilo que promete ser mais uma maré cheia de emoções. E como o prometido é devido, 16 de Julho foi “maré cheia”.

Um mar cheio de gente bonita, boa música, muitos sorrisos, céu pintado de cores fantásticas, fizeram o cenário perfeito para o arranque da edição 2015 do Meo Marés Vivas.

Um festival que não para de crescer, quer nos artistas que apresenta, quer no público que recebe, contou ontem com cerca de 30 mil pessoas.

Por volta das 19h15 subiu ao palco secundário Capicua, que jogou em casa quando fez emergir a “Sereia Louca” no mar do Cabedelo. Grande interação com o público, como lhe é habitual, prosseguindo com as suas rimas, “a capella” ou com batida, deixando toda a gente de braços no ar e com cheiro a “Alfazema”.

O sol estava a cair quando os Blind Zero abriram as hostes no palco principal. Já com um atraso, a banda portuense atuou para um recinto que começava a fazer-se pequeno para tantos “marinheiros”. Muitos eram os jovens a assistir a esta banda, que lançou o primeiro álbum em 1995. Foi a primeira vez da banda neste festival, mas não fugindo ao seu habitual registo, chegou e brilhou. Incendiou o recinto com “Whole Lotta Love” dos Led Zeppelin, surpreendendo ainda toda a gente ao cantar “Wrecking Ball”, de Miley Cyrus. Deram um concerto cheio de garra e saíram debaixo de um grande aplauso por parte do público, o que prometia ser a rampa de lançamento para uma noite memorável.

John Newman, que tinha atuação marcada para as 21h30, continuou a moda dos atrasos e subiu ao palco já depois das 22h30. O britânico, bastante competente em palco, cantou música atrás de música, tendo hits como “Blame”, “Feel the Love”, “Losing Sleep” e “Love me Again”, contagiando o público, que com ele dançou, e muito. E como dançou John Newman.

John Legend, cabeça de cartaz da noite, e um dos mais aguardados, atuou para um recinto totalmente cheio. O cantor, que conta com vários hits a passar incessantemente nas rádios, deu um concerto que encheu as medidas das fãs. Fez transbordar corações ao som de “Lay Me Down”, dueto gravado com Sam Smith, e levou tudo ao delírio quando cantou “All Of Me”, onde milhares de pessoas levantaram o telemóvel enquanto substituíam o cantor no refrão. Outra das músicas mais entoadas pelo público foi “You and I”, tendo o cantor norte-americano usado “Glória”, música que compôs para o filme Selma, e que lhe deu o Óscar de melhor tema original, como cartão de despedida. Digno de seu nome, John fez sem dúvida desta noite, uma noite “Legendária”.

Da “Jamaica” para o Cabedelo, veio Richie Campbell, que deu um ótimo concerto, empolgante e cheio de vida. Ele, vítima dos atrasos, conseguiu manter o público que acredita que o “Amor é um vício” empolgado e a balancear, encerrando o seu concerto por volta das 3h, com “Best Friend”. E foi, ele mesmo, um dos melhores amigos dos festivaleiros nesta primeira noite de Marés Vivas.

Hoje temos mais um prato forte na ementa, Lenny Kravitz, e muitos outros artistas para sairmos de Gaia com a “barriga cheia”.

Liliana Pinto  

Ser Liliana é ser uma mixórdia de coisas, entre elas, Ela.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: Blind Zero, Capicua, John Legend, John Newman, Lionel Richie, Richie Campbell

  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *