26 Jul 2018 a 28 Jul 2018

Laurus Nobilis 2018 com cartaz quase completo

Laurus Nobilis 2018 com cartaz quase completo

O Laurus Nobilis será sempre uma grande festa e uma digna homenagem à Música, não só na vertente profissional, mas sendo também uma montra para projetos emergentes, como também o festival está e estará sempre aberto a parcerias com associações e eventuais parceiros estratégicos.

A edição de 2018, que decorrerá ente 26 a 28 de julho, será mais uma vez direcionada para o Heavy Metal/Rock Alternativo (os estilos musicais que mais se notabilizaram e rentabilizaram nas edições anteriores).

O cartaz (quase) completo pode ser consultado em https://musicfest.pt/festival-edicao/laurus-nobilis-music-2018/

Teremos dois palcos, um de entrada gratuita que funcionará os três dias do evento (mais direcionado a projetos emergentes, como também as bandas conceituadas nacionais e internacionais) e um outro de entrada com o respetivo bilhete, este só funcionará dois dias, 27 e 28, e será o palco onde irão passar os cabeças de cartaz desta edição de 2018 do LNMF. Teremos também um terceiro palco de entrada gratuita na zona do campismo (Palco faz a tua cena) este mais dedicado a djs e projetos alternativos (Musica, literatura, teatro, etc…) apresentados na hora, como também sobre a alçada de uma inscrição (mais à frente apresentaremos os moldes para que os artistas se possam inscrever para este palco).

Localização e Instalações

A localização do Laurus Nobilis, na freguesia do Louro, permite conjugar a proximidade de um centro urbano, pois o centro de V.N.Famalicão fica a apenas 4km, com a vertente rural do local onde se realiza o festival.

Como chegar de automóvel:

As estradas nacionais EN 204 (Famalicão – Barcelos) e EN 206 (Famalicão – Póvoa de Varzim) encarregam-se de dar boas e rápidas rotas de acesso ao evento. Ao nível da rede de autoestradas, qualquer autoestrada do país pode desaguar em Famalicão através da A3 ou da A7. Para quem vier de norte e de Espanha, é possível chegar a Famalicão através da A3.

Como chegar de comboio:

A 500 m da entrada do recinto existe um apeadeiro (com horário alargado de paragem de comboios) para quem utilizar o comboio como meio de transporte para o festival.

Com chegar de autocarro público:

Utilizando a Rede Nacional de Expressos, com trasfega na central de camionagem de V.N.Famalicão, para a rede local de autocarros. A localização do evento proporciona um alargado circuito de autocarros públicos (rotas locais), dando uma possibilidade viável da deslocação ao Laurus Nobilis ser por este meio de transporte.

Aeroportos próximos:

O Aeroporto Francisco Sá carneiro fica a menos de meia hora de carro, através da A3 e o Aeroporto de Vigo fica a cerca de uma hora, através da A3. Qualquer aeroporto destes, fica sensivelmente a cerca de uma hora das mais importantes e variadas cidades do Ocidente da Europa.

Restauração:

A localização do Laurus Nobilis, no coração do Minho, possibilita a existência de muito variada oferta ao nível da restauração, estamos rodeados de muitos e bons restaurantes, como também casas de petiscos (as já muito apreciadas e famosas tascas).

Hotelaria (onde ficar):

Quanto à oferta de hotelaria para além das opções disponíveis em V.N.Famalicão, estamos somente a uns escassos 30 minutos das mais variadas opções existentes em Braga, Guimarães, Santo Tirso, Maia, Porto e Póvoa de Varzim.

Objetivo – Cada do Artista Amador

A Casa do Artista Amador deixou de ser um sonho, é uma realidade.

Através do protocolo com o Município de Vila Nova de Famalicão, este sonho passou ser realidade, a AECL já tem o seu próprio espaço (a antiga escola primaria da Gandra no Louro) para melhor desenvolver todos os seus projetos e continuar a sua principal missão, apoiar incondicionalmente a cultura de teor amador.

Fazendo parte da nossa missão a difusão e a prática da cultura, direcionada em certa parte a uma vertente de cariz amador/emergente, pensamos por bem que a melhor forma de cooperar e propagar a nossa missão é auxiliar os artistas “amadores/emergentes” e criar condições para que tenham oportunidade de colocar em prática a sua arte. É neste contexto que a Casa do Artista Amador tem um papel fulcral, esta Casa estará maioritariamente vocacionada, estruturada e direcionada à arte amadora/emergente. Servirá para albergar projectos culturais emergentes de cariz não profissional (músicos, poetas, pintores, atores, escritores, entre outros artistas), no contexto de toda a arte emergente, dando oportunidade de promover a Arte e a Cultura a todos os que a procuram, funcionando também como sede da AECL (entidade responsável pelo projeto). Para melhor satisfazer estas condições, vamos desde já avançar com um projeto de obras a fim de a Casa ter condições para salvaguardar ao que se propõe: apoiar, criar e expor arte de teor amador/emergente. Para tal a Casa estará munida de um pequeno, mas versátil, auditório com o fim de estar preparado para os mais variados espetáculos: quer de música ou teatro, como também palestras, conferências, projeções, etc. Terá também salas de ensaios, um estúdio de gravação e produção musical, bem como uma sala audiovisual, ateliers e uma galeria para os mais diversos tipos de exposições, entre outras possibilidades que ainda estão em estudo.

Para que a nossa satisfação seja sólida e perdure, teremos que nos afastar o máximo possível do sofisma dos subsidio dependentes, o que não quer dizer que não iremos recorrer ao que temos direito, para que a Casa do Artista Amador seja viável. Temos em marcha vários projetos ao nível da associação para solidificar e começar a trabalhar na Casa. Atualmente o do LNMF é o que surge à cabeça, é o mais sólido e viável, porque os lucros (desde que não ponha em causa o próprio LNMF) que advenham deste evento serão canalizados para a Casa do Artista Amador. Quanto aos outros projetos da AECL, a maior parte deles ainda estão na incubadora, mas brevemente alguns serão expostos e postos em prática, pois queremos e necessitamos da nossa Casa operacional o mais rápido possível e sabemos que só o LNMF é pouco para o timing reduzido e necessidades que temos a curto prazo. A Casa do Artista Amador é um projeto para dar início já em princípios de 2018.

É arrojado o projeto, temos essa consciência, mas parar é morrer e sonhar “ainda…” é um ato livre quer seja em grande ou de forma limitada. De uma coisa temos a certeza, nos sonhos o trabalho é o mesmo, querem eles se realizem ou não. Se os sonhos nos oferecem os projetos, na vida real temos a obrigação de os tentar concretizar o mais fiel possível, sob pena de os mesmos sonhos, simplesmente nos trocarem por outras almas sonhadoras.

 

Fonte: Press Release


Ainda não és nosso fã no Facebook?


  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *