4 Ago 2017 a 6 Ago 2017

“In Waves” – Reportagem no 3º dia do VOA 2017

“In Waves” - Reportagem no 3º dia do VOA 2017

No último dia do VOA destacaram-se os The Dillinger Escape Plan e os Trivium, ambos após bons anos de ausência em terras lusitanas.

Os jovens do Porto, Colosso, abriram as hostilidades do dia com o seu death metal experimental. Tendo lançado o álbum Obnoxious no ano passado, este grupo vai dar que falar nos próximos tempos.

Mais uma estreia oriunda de Espanha, Killus trouxeram o industrial metal com peso para Corroios. Fazendo lembrar o Rob Zombie com as músicas Revolution, Feel the Monster e Ultrazombies, fez-se uma festa alternativa quanto comparada com o resto das bandas que atuaram no festival.

Tal como Carcass que regressam a Portugal depois da tour Deathcrush, os Obituary voltam a Corroios para arrebentar com tudo e todos. Pioneiros do death metal da Florida, este quinteto liderado por John Tardy mostra como fazer música intensa e lenta, mudando imediatamente para um furacão devastador. Com o álbum homónimo acabado de lançar, tocaram novas malhas como Senteced Way e Ten Thousand Ways to Die, que foram bem recebidas por quem estava nos circle pits. Acabando o concerto com os sons brutais de Don’t Care, Redneck Stomp e Slowly We Rot, deixaram o recinto com restos de poeira no ar.

14 anos passaram desde da última vez que os The Dillinger Escape Plan vieram a Portugal, ao festival Ilha do Ermal. Conhecidos por serem a banda mais perigosa do mundo, esperava-se que o concerto fosse bastante explosivo. Mal entraram em palco com Prancer, começou uma explosão frenética no VOA. Logo desde o início do concerto, este quinteto com o seu mathcore frenético, não pararam de correr de um lado para o outro. Panasonic Youth, Farewell Monalisa e Sunshine The Werewolf, foram enormes motivos para se fazer crowdsurf. Finalizaram este concerto monstruoso com 43% Burnt, com uma despedida em grande peso.

Às 11 da noite chega a derradeira banda do cartaz deste ano, os norte americanos Trivium. Sendo a segunda fez que estão em Portugal, o concerto teve mais adesão que no esgotado Paradise Garage em 2012. Começaram o concerto com Rain do disco Ascendancy, deixando os fãs da banda imediatamente aliciados com esta actuação no palco de Corroios. O vocalista Matt Heafy, ia comunicando com o público português, agradecendo várias vezes a adesão dos fãs. Os fãs foram reagindo bem a todos as canções, mas o destaque foi para o single do futuro registo da banda, The Sin and the Sentence, no qual Matt Heafy elogiou a reação dos fãs portugueses. O público sempre caloroso e enérgico foi cantando em uníssono em Dying in Your Arms, Like Light to the Flies e na última música In Waves.

No último dia no palco LOUD! teve a presença do mathcore vicioso dos Don’t Disturb My Circles, seguido dos míticos Grog, fazendo uns bons moshs a meio do dia, acabando com o projecto misterioso black/death Omnious Circle, um ritual de peso.

Os fãs de metal anseiam pelo próximo ano. Quer-se mais.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: Colosso, Don’t Disturb My Circles, Grog, Killus, Obituary, Omnious Circle, The Dillinger Escape Plan, Trivium


  • Partilhar:

Francisco Moura  

Jovem cinéfilo e amante de concertos.

Também te pode interessar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *