Em conversa com os Brass Wires Orchestra, a orquestra sem maestro

Dizem que são a banda mais bonita do planeta, eu chamei-lhes hipster.

Modéstia e piadas mainstream à parte, os Brass Wires Orchestra já actuaram em Londres e passaram pelos mais variados palcos e festivais em Portugal. O nome é complicado, mas a história não. Juntaram-se todos no Miradouro do Adamastor para tocar e cantar umas covers e duas miúdas canadianas sugeriram o nome “Brass Wires” – metais e cordas – e o “Orchestra” veio depois.

São nove amigos que se vestem de forma peculiar, tocam instrumentos requintados e lançaram recentemente o primeiro álbum de originais – Cornerstone. Mas eles querem mais, muito mais. E nós também, por isso estivemos a conversar com Miguel da Bernarda e José Valério no pátio do The Decadente.

É ou não é uma cena hipster?

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=kZj3P86paBI]

Agradecimento ao The Decadente pela disponibilização do espaço para a realização desta entrevista.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: Brass Wires Orchestra

  • Partilhar:

Mafalda Saraiva  

Eu sei lá resumir-me numa frase. Mas escrevo muitas no meu blog.

Também te pode interessar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *