The Gift – De Alcobaça para o MEO Arena: um presente com 20 anos

The Gift - De Alcobaça para o MEO Arena: um presente com 20 anos

A banda que hoje conhecemos como The Gift, composta por Nuno Gonçalves, Sónia Tavares, John Gonçalves e Miguel Ribeiro, nasceu de um projecto intitulado Dead Souls. O seu primeiro concerto aconteceu em Julho de 1995, em Alcobaça e desde então tem sido um “soma e segue” de inovação, reinvenção e frescura. Em 2005 foram premiados com o Best Portuguese Act – MTV Europe Music Awards, após o lançamento de AM-FM (2004).

De Digital Atmosphere (em 1997) até Primavera (2012) houve lugar para Vinyl (1998), Film (2001), o já mencionado AM-FM (2004), Fácil de Entender (2006), e Explode (2011). A banda mudou e ousou mudar – e os seus espectáculos ao vivo são prova viva disso. E no dia 19 de Dezembro, no MEO Arena, os rapazes e rapariga de Alcobaça não desiludiram.

Enquanto o público ia chegando havia um cronómetro no écran central, em contagem decrescente para o início do concerto. Quando marcou 00:00, as luzes apagaram: a festa dos 20 anos estava finalmente a começar. Surge um narrador nos écrans, em modo “era uma vez” para nos contar a história da banda. Clássico foi a música escolhida para a abertura, com Sónia Tavares em traje de gala e sorriso largo, pronta para voar – literalmente – suspensa por um trapézio. E confettis, muitos confettis pelo ar – afinal, era noite de festa.

A seguir a Laura, música partilhada com o público no registo intimista, o palco ganha outra dimensão com a entrada de outros músicos, entre eles um septeto de cordas. Ainda que estivéssemos prestes a dar as boas-vindas ao inverno, a Primavera é anunciada e vivida pelo público presente. Ainda que possamos referir alguns problemas com o som ou até com um dos écrans, o certo é que tudo isso se revelou insignificante para quem estava no MEO Arena, tal não era a caminhada emocional pelos vinte anos – da banda e de cada uma das pessoas que escolheram cantar em uníssono “sábado à noite não estou tão só”.

Foram muitas as oportunidades que o público teve para cantar com a banda: RGB, Question of Love, Made for you, Front of e um Driving you slow com a presença especial de Luna, que conhecemos do videoclip deste single. Houve tempo ainda para partilha de momentos, por parte de Nuno Gonçalves e Sónia Tavares e que ficam gravados na sua memória – e dos fãs que seguem a banda, de forma incondicional e que mal podem esperar pelo novo álbum, que sairá no próximo ano.

Durante todo o concerto, o palco foi encolhendo e crescendo consoante o tom mais ou menos intimista das músicas escolhidas para o alinhamento. “Que sala tão bonita!”, disse a dada altura Sónia, que foi a porta-voz de vários “muito obrigada” que se repetiram ao longo das quase três horas de concerto. A sua energia em palco parece inesgotável. E há que salientar, ainda, a forma como as suas roupas aludiam aos vários momentos da história dos The Gift.

Se há algo que caracteriza a banda enquanto tal é a sua relação com o público, a empatia e a entrega entre o palco e o público reflecte-se num vai e vem de emoções que, essas sim, esgotaram o MEO Arena. O seu respeito e amizade pelos fãs é uma imagem de marca que não se fica só pela imagem.

O narrador que nos ia visitando nos écrans gigantes ganhou vida e surgiu na plateia: afinal, a festa ainda não tinha acabado. Afinal, ainda havia algo mais a contar sobre estes 20 anos de presentes musicados e interpretados por Sónia, Nuno, John e Miguel.

O concerto terminou com um momento que teve tanto de simples como de gracioso: para cantar Fácil de Entender, Nuno desceu num palco, para o centro da plateia e Sónia caminhou para ele, “voando” mais uma vez, por cima do público. Seguiu-se My Way, em homenagem a Frank Sinatra, tal como aconteceu em Guimarães, no concerto de 12 de Dezembro. O concerto terminou com a banda junta, no palco, para agradecer a entrega do público com Music. “I’m doing for everyone around me”, cantava Sónia, enquanto no écran eram apresentadas fotografias do concerto. Os olhares trocados com o público, a cumplicidade entre os músicos, a partilha que ali se viveu… é tão Fácil de entender!

Houve ainda tempo para autógrafos – e quem conhece os The Gift sabe bem que só descansaram quando assinaram o último cd ou livro. E agora? Agora, venham mais vinte.

Joana Rita  

Joana Rita é filósofa, criadora de conteúdos, formadora e investigadora. Ah! E uma besta muito sensível.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: The Gift

  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *