19 Jul 2018 a 21 Jul 2018

Benjamin Clementine: entre o amor e o humor – concerto no último dia da 24ª edição do SBSR

Benjamin Clementine: entre o amor e o humor - concerto no último dia da 24ª edição do SBSR

Têm sido vários os momentos de encontro entre o público português e o londrino Benjamin Clementine. Esta relação começou em 2015, no palco EDP do SBSR. Portugal apaixonou-se por Clementine e… it’s a match!

“Hey dreamer, how are you?”

O muito alto e esguio Benjamin Clementine subiu ao palco da Altice Arena às 21h40, imediatamente após o segundo espectáculo dos La Fura del Baus. “Hey dreamer, how are you?” e um “Olá, Portugal”. Ave Dreamer foi a música que deu início ao concerto. Seguiu-se Awkward Fish que marca o primeiro dos vários movimentos de Clementine em direcção ao público.

Para a terceira música entrou em palco a secção de cordas para o acompanhar na música que terá sido a razão de muitos dos presentes conhecerem Clementine: Nemesis. Pediu ao público para o acompanhar e para cantar. Depois deste belo momento, Benjamin chamou ao palco “uma das vozes mais bonitas e autênticas”: a portuguesa Ana Moura. O tema que partilharam foi I Won’t Complain. O casamento entre vozes foi perfeito.

Clementine merecia mais público, mas este nosso desejo não foi confirmado perante uma Altice Arena longe de estar composta. A plateia estava muito folgada, havendo algumas pessoas espalhadas pelas cadeiras, para melhor usufruir da música de Benjamin e da sua banda. A sua música é para gente sentada? Sim e não. Nesta noite o londrino incentivou à dança, com London.

“In your dreams”

O cantor distinguido com um Mercury Prize, em 2015, estava visivelmente bem disposto e brincalhão: chamou ao palco Seu Jorge. Seguido de um “In your dreams”. Condolence foi o tema que se seguiu, tendo sido dedicado a uma pessoa que faleceu de cancro. Foram várias as vezes que Clementine se aproximou do público: para cantar, para conversar e até para exigir silêncio no momento em que cantava cappellaPhantom of Aleppoville, Whiston Churchill e More Books também fizeram parte do alinhamento do concerto. Cornerstone  e Jupiter deram lugar a dois belos momentos vividos nesta noite.

Adios foi a música escolhida para a despedida que levou Benjamin e os músicos que o acompanharam na guitarra eléctrica e na bateria para junto do público. Aconteceu ali uma espécie de battle entre os músicos e o público. Foi um momento intenso até que Benjamin encontrou alguém que o enfrentou de olhos bem abertos e que respondeu à presença provocatória do londrino: The decision is mine / ‘Cause the vision is mine.

Um namoro que já dura há uns anos

O relacionamento de Benjamin Clementine com o público português conta com alguns anos e vários concertos. Em 2015 estreou-se neste país à beira mar plantado no SBSR, no palco EDP. A sua presença na 24ª edição do SBSR foi divulgada após o seu último concerto em Lisboa, em Março, no Campo Pequeno. Antes disso, tivemos oportunidade de o ouvir em Paredes de Coura, em ambiente de festival. E quem se recorda do concerto no Coliseu dos Recreios? Ou do então Vodafone Mexefest?

No final do concerto foi partilhada no écran uma bandeira de Portugal, com a frase “Eu vou-me lembrar de Portugal para sempre.” Ainda que este não tenha sido o concerto de Clementine mais memorável de todos aqueles aos quais já assistimos, o certo é que não nos vamos esquecer do cantor, do contador de histórias, do músico. Do jovem que conta agora com 29 anos e com uma alma tão madura.

É caso para dizer: volta sempre, Benjamin.

Joana Rita  

Joana Rita é filósofa, criadora de conteúdos, formadora e investigadora. Ah! E uma besta muito sensível.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: Ana Moura, Benjamin Clementine


  • Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *