31 Jul 2014 a 2 Ago 2014

3º dia do Festival Vilar de Mouros 2014

Tendo em conta as condições do seu regresso, podemos dizer que este ano o Festival Vilar de Mouros foi um sucesso, e para festejar em grande, não caiu uma pinga do céu.

Chegou ao fim mais uma edição e o espírito de Vilar de Mouros sentiu-se ainda mais neste último dia, enchendo o recinto mais do que em qualquer outro.

Pudemos contar com o talentoso Legendary Tigerman, que pôs o público ao rubro, a iniciar os espectáculos deste dia de encerramento. Paulo Furtado não deixou ninguém indiferente com o seu one man show, tendo sido acompanhado posteriormente na bateria e no saxofone. Acabou chamando o público para o palco, numa comunhão bem característica de Vilar de Mouros. Muito bom.

The Legendary Tigerman

Os Deolinda pisaram o palco de Vilar de Mouros pela primeira vez, mas não se sentiram envergonhados ou menos à vontade por causa disso. Segundo a cantora Ana Bacalhau, sentiram-se até em casa, e além disso deram-nos o prazer de partilhar um dos seus temas com o Legendary Tigerman. A recordar.

Deolinda

Os Xutos e Pontapés entraram de seguida, e pela quarta vez, neste histórico palco e deram mais um show de rock and roll, com temas que todos conhecem e acompanham. A banda mais conhecida de Portugal não deixou os seus créditos por mãos alheias e deu um espectáculo competente, ainda que um pouco previsível.

Xutos & Pontapés

Quem também regressou ao alto minho para repetir a aventura foi o britânico Tricky. A qualidade musical ainda existe, mas este não era definitivamente o público certo para o músico.

Tricky

Para encerrar a noite subiram ao palco mais uma vez os Guano Apes, com o seu rock de toada mais pesada. A banda alemã interpretou vários temas conhecidos dos festivaleiros, quer de antigos albuns quer dos mais recentes. No fim, todos os presentes pularam ao som de Open Your Eyes, Big In Japan ou Lords of the Boards.

Guano Apes

Já estão confirmadas as datas para o próximo ano (30, 31 de Julho e 1 de Agosto de 2015) e o cartaz, promete a AMA Autismo, vai ser muito bom.

Esperemos então por novidades deste Festival, que abrange várias gerações, e pretende continuar o legado de ser o Primeiro Festival de Portugal.

Lúcia Costa  

Pronta há trinta e poucos anos a partir de uma forma com poucos defeitos e alguns feitios. Eng. Mecânica por convicção. Mas do que gosta mesmo é de desfrutar de tudo o que a vida lhe dá. Festivais vai sempre que pode e às vezes até aos que não pode.


Ainda não és nosso fã no Facebook?


Mais sobre: Deolinda, Guano Apes, The Legendary Tigerman, Tricky, Xutos & Pontapés


  • Partilhar:

1 Comentário

  1. Filipe diz:

    Não sei se assistiram ao mesmo concerto de Tricky que eu. Aquele concerto simplesmente nao existiu! ficou marcado pela falta de coordenação do vocalista com o resto da banda; do abandono do palco a meio, de uma tentativa da back coral salvar o concerto e depois um final atribulado para encher o resto do tempo. Não sei o que o Sr. Tricky tomou nesse dia, mas coisa boa não foi de certeza. o publico descontente, virou-lhe as costas a meio do concerto. Deviam relatar essa parte também…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *